Fica cada dia mais comum no Brasil a alternativa de comprar empresas. Muitas pessoas têm como meta ser o seu próprio chefe. Para eles, isso significaria ser dono dos seus horários, poder se vestir da forma como quiser e, principalmente, não ter de dar satisfação a ninguém.

Entretanto, empreender um negócio significa assumir a responsabilidade total pela saúde da empresa, incluindo os momentos difíceis. E aí começa a diferença entre ser seu próprio chefe e ter um chefe. Em outras palavras, a diferença entre ser empreendedor ou empregado.

Você já parou para pensar se está preparado para comprar empresas?

Ser um empresário é diferente de ser empregado, uma vez que o sucesso ou fracasso do negócio recai todo sobre os ombros do empreendedor. Uma mudança drástica na economia não afetará apenas a segurança do seu emprego, mas poderá te levar à total falência financeira, com possível reflexo em seus familiares. Esqueça também os benefícios do trabalhador contratado, como faltas abonadas por doença, férias remuneradas e planos de demissão voluntária.

Por outro lado, quando o sucesso ocorre, ele também pertence a você. Todo o tempo dedicado será revertido em receita e lucro para o seu bolso.

Dessa forma, antes de começar a entrar no mundo empresarial, criar um negócio ou comprar empresas, é preciso fazer uma reflexão profunda, que poderá poupar alguns meses ou anos de frustração e até mesmo minimizar o risco financeiro.

Lembre-se que, desde cedo, aprendemos na escola, na faculdade e na vida habilidades que nos auxiliam a ter um bom emprego. Fomos instruídos a isso, mas não a criar ou a gerenciar um próprio negócio. Veja as 11 lições que não são aprendidas na escola.

Por isso, antes de decidir se você deve ser chefe de si mesmo, comece analisando os seus pontos fortes e fracos.

Responda algumas perguntas a si mesmo:

1. Sua formação é compatível com as exigências do setor em que está entrando?

2. Você possui conhecimentos financeiros mínimos (por exemplo: interpretar demonstrações de resultados ou fazer um planejamento tributário adequado)?

3. Como se sente em relação a vendas e marketing? Possui alguma experiência na área? Se sim, são suficientes para o desafio?

4. Suas habilidades estão à altura das necessidades do negócio? Se não, é possível adquiri-las com cursos, treinamentos e estudos? Quanto tempo será necessário para se tornar um conhecedor na área?

5. Como as necessidades do negócio se adaptarão à sua personalidade? Por exemplo, se não gosta de matemática, uma empresa que demanda uma gestão financeira complexa não será a mais adequada, ou se não gosta de contato com o público, trabalhar no varejo poderá ser um “tiro no pé”.

6. As atividades do seu novo negócio estão compatíveis com o seu estilo de vida? Por exemplo, algumas atividades exigem trabalhar à noite ou viajar constantemente. Você está preparado para isso?

7. Você está preparado para obter recompensas a médio ou longo prazo?

8. Você será um bom líder? Pense nos seguintes itens: Confiança das pessoas em você, capacidade de criação, decisão e para assumir responsabilidades, relação interpessoal;

9. Sua família está preparada para o seu desafio? Analise o perfil da sua família em relação à segurança financeira, apoio e incentivo para fazer o negócio dar certo, compreensão para eventuais preocupações extras;

10. A sua decisão de abrir ou comprar empresas está fundamentada na fuga de algo (trabalho sem perspectiva, chefe insuportável, marasmo mental) ou na busca de um objetivo maior (autoestima, independência, criatividade)? Se estiver correndo de alguma coisa, nenhum negócio o levará longe o bastante.

A resposta, portanto, está longe de ser objetiva. Ser empresário ou empregado depende de muitos fatores e só você pode encontrar a resposta correta. Se você está em busca empresas para comprar, conte conosco.

Saiba mais:

Valuation – como calcular o valor de uma empresa

Pontos comerciais e empresas – Como encontrar compradores

Por que você deve planejar a ruptura com seu sócio