Ter o próprio negócio é o terceiro maior sonho do brasileiro, de acordo com a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) realizada pelo SEBRAE juntamente com o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP). Mais de 30% dos brasileiros têm esse como objetivo pessoal e profissional, o dobro daqueles que pretendem seguir carreira dentro de uma empresa.

 

Dentre as principais dificuldades para realizar esse sonho, está a falta de recursos financeiros. O mercado de trabalho ainda caminha em ritmo lento e há mais de 13 milhões de pessoas em busca de alguma oportunidade.

 

De acordo com Gustavo Garcia, fundador do meuBiZ, plataforma que promove a compra e venda de empresas, esse pode ser o momento que muitos estavam esperando para tirar seus projetos do papel. “Empreender não é somente criar uma empresa. Também é muito comum adquirir uma franquia e, até mesmo comprar uma pequena ou média empresa que já esteja em operação”. É possível obter sucesso nos três modelos, mas existem diferenças importantes que precisam ser consideradas, explica.

 

Iniciar uma empresa a partir do “zero” é a alternativa que, comparativamente, demanda mais tempo desde a abertura até a operação. O nascimento de uma empresa é um processo burocrático e muitas vezes desgastante. Nesse período, o empresário deve obter registro como pessoa jurídica, encontrar um contador, definir nome empresarial, endereço, alugar espaço de funcionamento, pesquisar preços de equipamentos e materiais de escritório, definir marca/logo e registrá-los, buscar fornecedores, dentre outras atividades. Esse é o período em que o empresário estará, de fato, se preparando para iniciar as atividades.

 

Por outro lado, começar um negócio exige menor investimento durante a etapa inicial. As despesas de maior volume virão somente após início das atividades da empresa, o que pode ser uma vantagem para quem receberá um valor pequeno de FGTS ou seguro-desemprego, por exemplo.

 

 

Encontre negócios à venda

 

Aquisição de uma franquia

 

Investir em uma franquia é uma saída cada vez mais comum no Brasil, principalmente entre os empreendedores de primeira viagem. Atualmente, existem mais de 3 mil marcas à disposição no mercado.

 

Esse modelo é geralmente mais fácil de implantar, sendo mais adequado para as pessoas que ainda não tiveram a experiência de administrar um negócio próprio. As franqueadoras oferecem suporte, padronização de processos, equipamentos e produtos/serviços, rede de fornecedores, dentre outros serviços que podem agilizar o início da operação.

 

Toda essa vantagem também tem custos. Sendo proprietário de uma franquia, o empresário não terá total autonomia para decidir o que fazer na operação. Grande parte das marcas exige padrão de produtos/serviços, processos, móveis, dentre outros itens. Além disso, para ser um franqueado, as franqueadoras cobram uma taxa inicial de franquia, além de royalties mensais pela utilização da marca, pelo treinamento e processos de trabalho.

 

Apesar disso, existem muitas microfranquias com preços bastante reduzidos, sendo uma saída também para os empreendedores que não tem capital tão alto inicialmente. Vejas as franquias disponíveis no meuBiZ.

 

Comprar uma empresa em operação

 

A alternativa que vem sendo cada vez mais procurada é a compra de uma empresa em operação. Em países desenvolvidos, como nos Estados Unidos, a compra e venda de empresa se assemelha ao mercado de imóveis, com milhares de transações realizadas anualmente. Por aqui, o mercado de fusões e aquisições, como é chamado, está começando a ganhar força.

 

Segundo Gustavo Garcia, comprar uma empresa reúne as principais vantagens dos modelos anteriores: o empreendedor acelera o início da operação, tem total autonomia sobre seu negócio e reduz o risco de o negócio dar errado.

 

Em resumo, o custo-benefício de comprar uma empresa estabelecida pode ser bem melhor do que as demais alternativas. Isso porque o período mais crítico de um negócio ocorre justamente entre a abertura e o ponto de equilíbrio financeiro e espera-se que uma empresa já estabelecida tenha passado por esta difícil etapa. Ademais, para além da dificuldade financeira, há outras razões para empresários quererem vender seus negócios como, por exemplo, problemas de saúde, falta de sucessor para o negócio, mudança de cidade e aposentadoria. Ou seja, há excelentes oportunidades de empresas à venda no mercado.

 

Como empreendedor, é preciso avaliar o potencial de cada alternativa, pois todos os modelos têm as suas falhas e as suas qualidades. É fundamental pesquisar e conhecer completamente o negócio antes de investir. Atualmente, já são mais de 1.500 empresas à venda e muitas delas podem ser o caminho para uma nova era de empreendedorismo após o saque do FGTS.

 

Encontre negócios à venda

 

 


Veja mais:

3 erros para não cometer ao abrir uma franquia

Cinco estratégias para garantir o sucesso da sua rede de franquias

Quando devo vender meu negócio? Tome a decisão correta.

Negócios lucrativos – como encontrar empresas para investir

Fazenda à venda: como investir no setor agrícola

Salões de beleza à venda são bons negócios para empreender

6 dicas para escolher um bom imóvel comercial

Quiz de personalidade – analise seu padrão comportamental para o empreendedorismo

Teste de personalidade – Como elevar suas chances no mercado

Bom negócio RJ – Como empreender um bom negócio no RJ

Depósito de gás é um bom negócio para empreender

6 dicas para escolher um bom imóvel comercial

Salões de beleza são bons negócios para empreender

Passando o Ponto Comercial – Como colocar o ponto à venda

Afinal de contas, comprar uma empresa é um bom negócio

Brasil empresas: aumento do apetite por aquisições do Reino Unido

O Brasil empresas ficou barato e os investidores estão aproveitando