“Dessa vez eu passo o ponto!” Esse é o desejo de muitos empresários e empresárias ao se depararem com um desafio na gestão do seu negócio. Quando um(a) empresário(a) pensa que é a hora de passar o ponto de sua empresa, ele (a) certamente foi influenciado por algum motivo específico. Pode ser necessidade de se aposentar, um conflito entre sócios, a falta de sucessores, o desejo de começar outros caminhos, falta de capital para investir, dificuldade em lidar com a concorrência, dívidas etc.

Nesse momento, o(a) empresário(a) que já se decidiu pela venda, precisa avaliar se possui argumentos fortes para atrair compradores e como poderá valorizar a empresa para obter o melhor valor sobre ela.

Por outro lado, o interesse do comprador ao visualizar uma oportunidade no estilo passo o ponto é identificar bons negócios que compensem o investimento, sem cair em ciladas no futuro.

Passo o ponto – O que faço quando encontro essa placa?

 

Para quem já é empresário, comprar um novo ponto comercial pode ser uma excelente oportunidade de negócio. As possibilidades são boas: pode-se expandir a outra empresa já existente, fundir as operações, aumentar a base de clientes e diversificar os investimentos.

Para quem ainda não tem um negócio, a oportunidade é entrar no mundo dos negócios pela porta da frente, em um ponto comercial já reconhecido, próximo a outros negócios, com algum fluxo de clientes.

É importante considerar os riscos de se ter adquirir um negócio como esse, para realmente ser bem sucedido na empreitada. A primeira questão é entender porque deseja comprar uma empresa ou ponto comercial específico e não outro. As razões podem ser desde afinidade com o local, com o tipo de negócio, a quantidade disponível de recursos. A sua percepção subjetiva sobre a qualidade do investimento também é importante, o famoso “feeling”. Mas use os dados para comprovar esse sentimento.

Quando se trata de compreender os aspectos do negócio, um comprador que já conhece o setor, a localização ou tem algum tipo de experiência empreendedora, sabe como funciona ou reage um determinado tipo de negócio. Mas para empreendedores de primeira viagem, é importante avaliar o ambiente macro e a estrutura do setor para saber como se posicionar.

Sendo um ponto comercial, é importante pesquisar muito bem o local onde está localizado, observar seu público, fluxo, acesso, horários e serviços disponíveis. Você já reparou como alguns pontos comerciais constantemente fecham? Isso porque eles são afetados pela reputação das empresa instaladas. Por isso, conhecer com detalhes o local, a base de clientes e a fama da empresa é crucial para um bom investimento.

Saiba qual a diferença de vender uma empresa e um ponto comercial

Quando se conhece bem a região ou se busca mais precisas sobre ele, é possível saber se o valor pedido será retornado em termos de vendas. Tudo isso pode influenciar no sucesso do negócio.

A expectativa de um vendedor ao pendurar a faixa de passo o ponto é receber ligações e interessados. Para ele, quanto mais rápido o ponto comercial for vendido, melhor. O comprador deve pesquisar sobre o ponto e entrar em contato. O fator tempo, nesse caso, é fundamental.

Quanto vale o negócio?

 

Independente dos motivos pessoais ou profissionais que levaram ao interesse de passar o ponto ou vender a empresa, é preciso saber quanto pedir pelo negócio.

Se a venda envolver somente o ponto comercial – o famoso passo o ponto – a avaliação poderá ser realizada por um corretor ou outro profissional do mercado imobiliário.

Mas se o interesse é vender a empresa como um todo (incluindo seus passivos, estoques, contratos e CNPJ), o ideal é contar com o apoio de um consultor em valuation.

O processo de avaliação pode ser simples ou complexo, a depender do porte da empresa. Pode envolver a análise de aspectos internos e externos, em situações que medem a quantidade e a qualidade da empresa. Mesmo com muita teoria, é a experiência do avaliador que determinará o valor mais indicado para o mercado de compra e venda, baseado em seu conhecimento técnico e sua compreensão da operação.

Nesse caso, os relatórios financeiros da empresa serão o começo da avaliação e orientarão o preço final a ser solicitado pelo negócio. Um bom consultor também irá considerar os fatores subjetivos que influenciam os resultados da empresa: qualidade do time de vendas, sazonalidade das vendas, entre outros.

A questão fundamental é a análise financeira e contábil, que visa compreender o fluxo de caixa, o patrimônio, os ativos e passivos, a receita, despesas e custos. O avaliador pode verificar se houve auditorias/fiscalizações e se há pendências de impostos, sonegação ou fraudes.

E, mesmo avaliando todos os prós e contras da empresa, suas documentações e relatórios, conversar com atual proprietário pode elucidar o que é há de mais importante e prejudicial para o negócio. Saiba os motivos para a venda, como é o fluxo de caixa, qual o plano de negócio e de marketing, se há algum processo pendente e se ele pode auxiliar no processo de transição.

A expectativa do comprador, nesse caso, é exatamente oposta da expectativa do vendedor. Enquanto um quer pagar o menor valor, o outro deseja receber o menor valor. Por isso, é importante considerar a opinião dos consultores para não cair em armadilhas e inviabilizar a venda.

Saiba quanto vale o seu negócio

Conduzindo o processo de venda

 

O processo de compra e venda de uma empresa ou passagem de ponto comercial envolve um volume considerável de investimento e tempo. Para que seja bem sucedido, é preciso que seja feito com cuidado. É muito importante alinhar as expectativas do vendedor e do comprador com as realidades do negócio.

Na reta final da compra e venda, a figura de um intermediador (negociador, corretor) pode auxiliar bastante na redução das incertezas, da burocracia, na garantia da transparência e da segurança do fechamento do negócio. Ele simplificará o processo, aliviando tanto comprador como vendedor do envolvimento pessoal com afazeres desnecessários.

O intermediador também pode acompanhar todas as fases do processo, desde a ideia da venda de uma empresa, até a assinatura de contrato. Ou pode auxiliar somente na negociação ou na documentação, quando há uma iniciativa “passo o ponto”.

A expectativa é quase sempre que as partes contem com profissionais adequados na condução da venda. Mas a realidade é bem diferente.

Muitos empresários preferem vender seus negócios de forma autônoma e isso é possível sim. Você terá um pouco mais de trabalho e precisará pesquisar um pouco mais. Em compensação, poderá economizar algum dinheiro com isso. Valerá a pena, caso o seu negócio ou ponto comercial não seja tão caro ou complexo.

O que você precisa saber antes de vender um ponto comercial

 

Saiba mais:

5 passos para se preparar antes de abrir uma franquia

5 passos para vender um negócio

Organize os documentos da empresa antes de vendê-la